Adolescência Adolescentes & Família Potencial de Consumo da Geração Teen Estudo de Mercado & Evento Atividades Contato

= ADOLESCÊNCIA =

Dentre as teorias sobre o período da adolescência, a de Robert Havighurst parece esclarecer alguns pontos. Segundo ele, existe uma série de tarefas evolutivas que devem ser cumpridas. Exigem investimento emocional e que os jovens tomem resoluções. A primeira delas é a aceitação do próprio físico e do papel masculino ou feminino. Em seguida: manter novas relações com pessoas da mesma idade. A terceira é obter a independência dos adultos. A quarta: independência econômica. A quinta diz respeito à escolha de uma ocupação e o seu preparo. A sexta envolve o desenvolvimento de habilidades intelectuais e de conceitos necessários para a competência como cidadão. A sétima trata do desejo e da obtenção de comportamentos socialmente responsáveis. A penúltima: a preparação para o casamento e a vida em família. A última seria a formação consciente de uma escala de valores em harmonia com a visão do mundo.

Segundo o IBGE que tem site específico (teen.ibge.gov.br): dos 15 aos 19 anos, existem 4,23% (homens) e 4,10% (mulheres). Portanto: 8,33% de 207,7 milhões (censo de 2016) = 17,3 milhões de jovens no país. Todavia, apenas nesta faixa etária. Num contexto amplo, somam mais de 50 milhões da população brasileira.

= ADOLESCENTES & FAMÍLIA =

Os adolescentes emergem da infância em direção a um lugar no mundo adulto. O crescimento é questão de um entrelaçamento com o meio ambiente facilitador, ou seja, a família e as pequenas unidades sociais são importantes neste processo. Evidencia-se a função da família enquanto instituição que preserva e transmite valores, códigos morais e éticos, possibilitando a formação da identidade do adolescente, entendendo-se como um processo contínuo e fruto do amadurecimento emocional do ser humano e da pertinência do indivíduo a um grupo social.

= ESTUDO DE MERCADO & EVENTO =

Através de pesquisa por amostragem que envolveu cerca de 5.000 jovens entre 13 e 19 anos, ou seja: idades teen, de ambos os sexos e de quase todas as regiões brasileiras, cujos emails foram obtidos em redes sociais e alguns sites de relacionamento, visto que usamos formulário eletrônico para facilitar o preenchimento e a devolução, idealizamos o projeto da TEENAGER FAIR (Feira Internacional do Adolescente) – iniciativa inédita na América do Sul e provavelmente uma das poucas do calendário internacional dada a sua abrangência.

Mês, dias da semana (6ª. feira a domingo) e horário foram indicados no estudo, sendo que 95% dos entrevistados gostaram da ideia e, ao mesmo tempo, 94% participariam como visitantes, havendo uma equivalência nos percentuais e assegurando a credibilidade das informações.

Na pesquisa, dentre os 68 setores listados (múltipla escolha), os adolescentes apontaram cursos & treinamentos (72%) e emprego (69%) como as áreas prioritárias, significando a sua preocupação com a profissionalização diante dos desafios do atual mercado de trabalho.

Adicionalmente, com os mesmos índices ou próximos: telecomunicações; música; lazer e entretenimento; beleza e estética; orientação vocacional; esportes radicais; calçados; vestuário; agências de intercâmbio; turismo; shoppings; equipamentos de som e áudio; fast food; eletroeletrônicos; casas de shows e espetáculos; motociclos; estações de rádio e televisão; artigos de praia e campo; produtos nutricionais; cartões de crédito; e em destaque: celulares; diversões eletrônicas (vídeo games); e bebidas não alcoólicas (águas, refrigerantes e sucos).

= ATIVIDADES =

Em paralelo e de forma integrada, ocorrerão várias iniciativas, tais como: TEENFOLIA (1ª. Micareta para Adolescentes do Brasil); ODONTEEN (Salão de Odontologia para Adolescentes); INFOTEEN (Salão de Informática para Adolescentes); BEAUTEEN (Exposição de Produtos e Artigos de Beleza para Adolescentes); e IoTEEN (Exposição sobre a Internet das Coisas para Adolescentes), além de palestras, workshops, oficinas e minicursos que possam orientar os jovens sobre os mais diversos assuntos:

= ensino e educação; sexualidade; literatura; trabalho e emprego; drogas; vocações; civismo; legislação; comportamento; convívio familiar; riscos das mídias sociais; inovações científicas e tecnológicas; inclusão em todos os aspectos; relacionamento interpessoal; desportos; alcoolismo; tabagismo; higiene pessoal e bucal; cuidados com a saúde (mental e corporal); hábitos alimentares; segurança pública; religiosidade; trabalho voluntário; racismo; meio ambiente; eleições (TSE / 16 aos 20 anos: 7,45% do eleitorado); direitos humanos; enfim, centenas de temas para intenso programa de atividades.

= POTENCIAL DE CONSUMO DA GERAÇÃO TEEN =

Independentes, sempre antenados e muito vaidosos, os adolescentes têm interesse por itens que traduzam a modernidade, estando cada vez mais livres para a escolha do que desejam consumir. Cerca de 55% investem em produtos de marca x 33% das outras faixas etárias.

Para eles, torna-se muito importante que as marcas tenham algo especial e possam significar os símbolos do consumo e da inovação. Não hesitam em adquirir um produto que ainda está sendo descoberto, como aconteceu com o iPad na época do seu lançamento.

Tanto que cresce o percentual de adolescentes que buscam por marcas pela internet. Entre 2013 a 2016: de 29% para 48% conforme as informações do comitê gestor.

Em celulares, são uma espécie de CTO (chief tecnology officer) da família. São eles que conhecem o funcionamento dos aparelhos.

A moda jovem customizada representa um elo de integração com o grupo ao qual o adolescente pertence.

Portanto, no universo dos negócios, os jovens são levados a sério. Cada vez mais, as empresas voltam os seus olhares para a turma da geração teen. A Renault, por exemplo, associou um dos seus modelos, o Clio, a duas marcas identificadas com este nicho de mercado (Yahoo e Jovem Pan), vendendo 16,9 mil unidades.

A influência dos adolescentes em nosso país no orçamento familiar gira em torno de R$ 94 bilhões anuais, podendo chegar na casa dos R$ 100 bilhões se considerarmos dos 14 aos 24 anos. Nos Estados Unidos geram cerca de US$ 155 bilhões a cada ano – seja pelo que eles consomem e/ou levam os seus pais a consumir.

Aqueles da classe média concentram um maior poder de consumo, seguidos pela A e B, e a D num percentual bem mais baixo.

As empresas que conseguirem entender o linguajar deste importante grupo, oferecendo produtos e serviços adequados, terão excelentes oportunidades de negócios e vendas.

Parte da bilheteria (50%) será revertida para 5 instituições filantrópicas que tenham projetos assistencialistas para os adolescentes.